_Bits with anxiety disorder

About RSS
May 26, 2012 | #Cotidiano #Loucuras #berlim #berlin #brasil #cotidiano

Eu já posso reclamar de Berlin.

Depois de quase seis meses morando aqui, eu acho que já posso reclamar né? Muito justo.

Começando com aquele dia em você sai com os minutos contados de casa, depois de ter conferido todo o caminho a fazer no site da bvg.de, você chega na estação de trem e descobre que tem uma reforma na linha e você precisa pegar ônibus para completar o trajeto. Ônibus é ônibus em qualquer lugar do mundo. Pode adicionar aí mais 15 minutos nas tuas contas. Melhor que isso é pegar o trem bem feliz achando que tá tudo certo e de repente o trem para por mais de 10 minutos e começa a voltar...isso mesmo, você que não sabe alemao, nao entendeu o aviso e continuou no trem quando devia ter descido para continuar o trajeto de ônibus. Aí depois do panico inicial o negocio é descer na proxima estação e pegar o trem na outra direção e dessa vez descer para pegar o onibus.

E faça todas essas indas e vindas a -20 graus. É lindo de ver os teus pes congelando na neve enquanto voce espera  o trem que esta atrasado, afinal...é muita neve e muito frio para o transporte principal da cidade funcionar normalmente.

Nesses dias de frio, voce acaba dormindo até mais tarde, acorda ao meio dia bem feliz que colocou o sono em dia até bater aquela depressão ao perceber que praticamente perdeu de ver qualquer luz, pois já vai ficar escuro denovo em menos de 4 horas. Prestem atenção na palavra luz. Usada aqui no sentido da claridade, não de claridade vinda do sol e sim aquele neve branquinha, que depois da breve caminhada até o supermercado vira barro na entrada de casa :D

Ah o sol! O que é isso? Depois de meses de inverno, a tal claridade passa a ficar mais acentuada...em vez das miseras 6 horas de claridade, a.k.a a cor branca da neve, você ganha sol das 5 da madrugada as 9 da noite. Ebah! Dia de ver uma monte de perna branca e laranja desfilando pela cidade. Laranja, cor utilizada aqui para descrever as tentativas falhas dos europeus de ganharem alguma cor mesmo durante os períodos de claridade, ja explicada anteriormente.

Mas qual o problema do frio se existe calefacao em casa?! Delicia, chega em casa da rua, -20, dentro de casa, 20 graus. A neve derrete das botas, faz aquele barro na entrada de casa e de brinde a sua garganta começa a doer. Os lábios começam a rachar e a tua pele começa a secar. Afinal é o dia inteiro dependendo da tal calefacao para nao morrer de frio. Aí voce sonha que no verao voce nao vai precisar mais gastar litros de creme no seu lindo corpinho. Você pensou errado. A diferenca é que no verão o ar é seco até na rua. Dá para sentir a tua pele mais rachada que o chão do sertão.

Aí num belo dia você precisa mandar cartas. Sim, o ato simples de mandar cartas. Voce chega em uma lojinha, que diz ser filial do Deutsche Post e vem uma senhora, tipicamente alemã, aparentando mais de 50 anos. E voce na ingenuidade, pergunta se ela fala ingles. Resposta: "Nein.". Corre para a central do correio, na ingenuidade, acreditando em Papai Noel, e novamente, uma senhora, tipicamente alema, aparentando mais de 50 anos. "Do you speak english?" - "Nein." Mas dessa vez Papai Noel colaborou e a senhora, tipicamente alemã, resolve buscar ajuda, uma jovem tipicamente alemã, que estudou em uma escola, que desde a derrubada do muro ensina inglês :D Cartas enviadas. Espera-se que um dia essa geracao va crescer e tomar conta das ruas e voce nao vai precisar estudar mais essa lingua em que nao existe a expressao "Nice to meet you".

Voltando ao assunto claridade, verão e laranjas. A impressao que se tem é que as pessoas aqui não sabem o que fazer quando tem sol: vai todo mundo para os parques, deitar e rolar na grama. Outro festival de pernas brancas e laranjas. Por falar em laranjas, aqui com certeza nao existe aquela ideia de comer 5 tipos de frutas por dia. O maximo que tu consegue é mudar de maça vermelha para maçã verde. Que comer mamão papaya? Fica no Brasil.

Falemos dos restaurantes em Berlin. Lindo de ver. Em cada bairro é possível achar de tudo: comida italiana, russa, turca, chinesa, japonesa, turca, asiática, turca, asiática, turca, asiática...e assim vai. Ah, sim, tem restaurante brasileiro. Quer comer churrasco? Você ganha um espetinho. Feijão? 10% feijão, 90% água. Couve? Não existe. Guaraná? Desembolsa aí 5 reais por uma latinha.

Quer arrancar o sorriso de um alemão? Ande com o seu cachorro. Quer ver ele te odiar? Pergunte: "Tudo bem contigo?" Quer invasão maior de privacidade do que perguntar como esta o dia de alguem? Ah, pois é.

Ah o verão! Os alemão pira. Agora sao 2h30 min da madrugada de domingo e os meu vizinhos estao bem felizes escutando musica alta, bebendo cerveja e dando risada na sacada. As vezes ainda rola aquele churrasquinho (bife na grelha) no meio da noite. Aí voce diz: "mas é final de semana!" . Sim, isso acontece no final de semana, na segunda, na terca...e acredite não sai nenhum alemao na janela para reclamar. Pois pedir para o vizinho manerar na festa deve ser invasão de privacidade. Há quem diga que tu só poder chamar uma alemão pelo primeiro nome depois de pelo menos dois anos depois de se conhecerem e saírem juntos. Chamar pelo primeiro nome significa que ele é teu amigo. Quanta intimidade, não?

................

E a vida? Vai muito bem, obrigada, Nada melhor do que acordar todos os dia ao lado de quem eu amo, beber  água da torneira, andar de  noite sem medo.  Viver em um cidade cheia de gente educada, simpática e disposta a te escutar  tentando falar  male-porcamente alemão... é lindo. Tem muito verde, parques lindos, museus. Cada comida diferente para provar e um mundo de culturas diferentes para conhecer em uma única cidade. Sim, dá para reclamar bastante, fazer piada e contar muita história engraçada (e triste), mas acredito que faça parte da adaptação, que é mais longa e mais difícil do que eu pensava e planejava. Não dá para desistir agora. Se não sabe brincar, não desce pro play. Fica no Brasil comendo mamão.

O marido e a filha peluda em um desses dias de sol em um parque.
O marido e a filha peluda em um desses dias de sol no parque.