_Bits with anxiety disorder

About RSS
Apr 13, 2014 | #Cotidiano #Indignação #animais #animais silvestres #bonito #estradas #extincao #mato grosso do sul #ms #perigo #preservacao

O mundo não está a teu serviço

Bonito, Mato Grosso do Sul, Brasil, Planeta Terra

Em fevereiro-março desse ano eu fui ao Brasil, como sempre, visitei principalmente a minha família, mas dessa vez decidimos (eu e o meu marido) descansar um pouco mais e irmos a Bonito, MS. Eu tenho uma amiga morando lá.

Bonito é uma cidade indescritível. Eu sempre preferi morar em cidade grande, eu gosto disso, mas no Brasil, mesmo em cidade grandes, nós vemos muitos bichos, como formigas, lagartixas e claro, baratas e ratos. Aqui em Berlim eu me lembro de exatamente o dia em que eu vi um rato perto dos trilhos do tram (é tram mesmo que se diz), apesar que tem bastante passaros (passarinhos?).

Enfim, o que eu quero dizer com isso? Que quando você bicho de cidade de pedra chega em um lugar como Bonito, você se sente a pessoa mais NÃO saudável do mundo. Mesmo pra um Berlinense, que geralmente come muita comida orgânica, não come carne e só anda de bicicleta, Bonito parece ser uma outra dimensão. Colher fruta no jardim de casa é luxo. Tudo lá é deslumbrante. Tucanos, araras, macacos ali, a poucos metros de ti.

O lado triste de Bonito: as estradas e as pessoas

Eu tenho um cachorro que eu adotei aqui em Berlin. Sou totalmente contra comprar qualquer tipo de bicho com tantos esperando para serem adotados. Eu choro olhando filmes em que cachorros e moscas morrem. Aqui em casa separamos o lixo, tentamos não disperdiçar nada. Nós tentamos a fazer a nossa parte. Pelo menos era o que eu pensava. Aí eu fui a Bonito. Lá eu me senti mal por existir. Me senti uma máquina de fazer lixo e destruir. Eu já tinha ido lá, mas essa foi a primeira vez que eu fui de Campo Grande a Bonito de carro. E esse é o motivo desse post: as estradas de Bonito.


"Quati tentando resgatar seu filhote atropelado." - Fonte: http://www.portalbonito.com.br/noticias/noticias-geral/3548/atropelamento-de-animais-em-rodovias-um-problema-de-todos

Os animais nas estradas

A minha amiga que mora lá, já havia me contado sobre o atropelamento de animais silvestres  (isso inclui outras cidade ali perto como Jardim). Eu sou uma turista preguiçosa, eu admito, não sou do tipo que lê tudo sobre um lugar antes de ir, ainda mais quando é no meu próprio país. Sinceramente, se a minha amiga não tivesse me alertado eu não teria prestado tanta atenção. E como ela é bióloga, ela sabe os horários de maior risco de encontrar um animal na pista. E pra mim esses horários não são tão lógicos assim.

A sinalização

A sinalização também não ajudava muito: Ao longo da estrada tem várias placas avisando: "animais silvestres na estrada", "animais de grande porte podem atravessar a pista", "preserve o Pantanal" e outros textos nesse sentido. Muito bom, ótimo. Só que não. Em algum lugar estava escrito que Cuatis também atravessam a pista? Tartarugas? Tatus? Que o horário de maior movimento de animais atravessando a pista é quando o sol começa a se por? As placas também estavam em inglês para turistas estrangeiros? A resposta é não pra tudo. Para mim, a idéia que elas passavam era que tu ia encontrar um boi, uma vaca atravessando a pista, não um tatu, uma anta, uma Quati - quantos já viram e sabem o que é um Quati? Então, se eu que gosto de viajar e sempre me importei com animais e não tinha idéia sobre o quão cuidadoso nós deviamos ser ao dirigir naquela área, imagina o quanto outras pessoas não devem fazer a mínima idéia disso. O meu marido não sabe portugues e era ele que estava dirigindo. Como seria se os dois não  entendessem português? As placas não iam servir pra nada.

Procurando agora no Google, eu não consegui achar informações específicas sobre os horários de maior risco ao dirigir naquela area. Ou seja, mesmo que eu quisesse saber e se o turista conseguir chegar a essa conclusão sozinho, ele não ia achar assim tão fácil.

O pobre do Tatu

Outro ponto a considerar: nós fomos cuidadosos e ainda sim quase/talvez atropelamos um tatu. Nós fomos a Jardim e na volta, lá pelas 10 horas da noite - horário de risco - nós voltamos para Bonito. O meu marido cuidava do lado esquerdo da pista e eu cuidava do lado direito. E nós dirigiamos a +- 60 Km, além de vermos pelo menos 3 diferentes animais atravessando a pista, nós quase atropelamos um Tatu, pois nós só enxergamos um Tatu chegando do outro lado da pista e não vimos que tinha um bem na nossa frente. O meu marido conseguiu desviar mas a minha amiga que vinha no carro de traz disse que ele tava morto. Quando nós avistamos ele bem na frente do carro, ele não estava se mexendo, eu acho que até foi por isso que não notamos ele. Então não temos certeza se fomos nós que atropelamos ele ou se ele já estava morto quando passamos ali, por isso ele não teria se mexido quando carro passou, além de não termos "sentido" nada bater no carro. Se fomos nós ou não, eu sei que eu me senti muito idiota e a pior pessoa do mundo por não ter notado o pobre do tatu. Pior ainda é não prestar atenção e dar de cara com uma Anta. Você e a Anta - um animal grande - podem acabar mortos na pista.

O lixo produzido pelas pessoas (turistas e moradores!)

Além dos vários animais mortos ao longo da estrada, era possível ver muito lixo. Ok, eu não acho que seja lógico que animais atravessem mais a pista em um determinado horário, mas acreditar que o lixo que tu joga no chão vai desaparecer ou caminhar sozinho para a lixeira mais próxima é sacanagem. Porra gente! O mundo não está a teu serviço!

Aprecie com moderação

Como a minha amiga bióloga disse, dá vontade de mandar todo mundo embora do planeta, mas ao mesmo tempo, se tu não entra em contato com a natureza, com os bichos, tu também não vai entender a importancia que tem tentar preservá-los. Como já dizia o ditado, o que os olhos não veem, o coração não sente. E isso vale para qualquer lugar do mundo.

  • Não seja preguiçoso como eu e tente se informar. Google, wikipedia, e um blog post como esse. Procure saber sobre os animais silvestres da área. Além de te ajudar a descobrir em que horário do dia você pode ver um e tirar lindas fotos, você vai estar colaborando com o meio ambiente e com a sua segurança na estrada - procure a foto de uma anta adulta e você vai saber do que eu to falando.
    Ok, eu te ajudo:


    Uma anta adulta. Fonte: http://www.gramadosite.com.br/imgs/grsite/cs/cs100704044348.jpg

  • Dirija devagar e tente desviar/freiar se avistar alguma animal na pista. Não passe por cima. Muitos desses animais silvestres correm perigo de extiinção. Eu tenho certeza que você não vai querer ser o idiota que colaborou com a extinção de uma espeécie. De novo:

    o mundo não está ao teu serviço!

  • Compartilhe: se você tem alguma informação nova sobre o assunto compartilhe no Twitter, escreva no facebook, no seu blog. Quanto mais pessoas souberem, melhor.
  • Não joque comida na beira da estrada. Além de ser uma atitude muito idiota, a comida atrai animais para a estrada.
  • O Governo deveria providenciar placas/sinalização na estrada em inglês.
  • As agências de turismo deviam ter a obrigação de alertar os turistas e distribuir informações mais específicas: quais os horários de maior risco, quais os animais que mais atravessam etc. Pelo menos se você sabe como é um Quati ou uma Anta por exemplo, eu acredito que deve ser mais fácil de avistar eles vindo. Se você está sempre esperando por uma vaca, você não vai notar um animal como o Tatu, que é pequeno.

O meu marido também escreveu (em inglês) sobre as nossas férias no Brasil: http://blog.jospoortvliet.com/2014/03/two-weeks-off-in-brazil-in-about-6.html