_Bits with anxiety disorder

About RSS
Oct 11, 2010 | #Contribuição #Experimente o KDE #contribuicao #inciantes #openhatch #softtware-livre

Projetado para não escalar

(Este é o segundo post do convidado Asheesh Laroia do OpenHatch, um "mecanismo de participação no open source". OpenHatch é um website e também um  projeto em andamento para ajudar os novos colaboradores a encontrarem o seu lugar em projetos de software livre. Se você gosta deste tipo de coisa, você pode se inscrever no blog do OpenHatch ).

OpenHatch

Para a maioria dos projetos open source, apenas um novo contribuidor já significa um incrível aumento de energia. Como um membro do time, o que você pode fazer para encontrar essa pessoa?

Normalmente, nós configuramos computadores para conversar com potenciais colaboradores. Este  "escala" - um novo colaborador solicita uma página da wiki ou procura no localizador de oportunidades para voluntários do OpenHatch, e você não precisa fazer absolutamente nada. Se as coisas funcionam, os patches fluem.

Desta vez, eu quero falar sobre estratégias de divulgação em que o esforço humano é o gargalo.

Fedora Design Bounties

Com o objetivo de trazer um novo colaborador, Mairin Duffy, por vezes, escreve um "Projeto Fedora Bounty", um longa descrição de algo que ela poderia fazer sozinha.

Olhe para o primeiro e você terá uma noção do processo. Ela criou uma página web e discutiu um tema específico (ao invés de simplesmente linkar para um ticket). Ela destacou uma tarefa específica para um iniciante e forneceu uma demonstração de porque aquilo é importante para que o trabalho seja realizado. A seção “O que tem nele para você?”, explica como será muito legal se você fizer isso.  Finalmente,  o concurso: qualquer um pode tentar trabalhar nele por 48 horas, e se não tiverem êxito, a próxima pessoa da fila ganha uma chance.

Em seguida, ela cruzou os dedos, clicou em "publicar", e esperou ansiosamente.

Neste caso, houve um grande número de respostas. Dentro de poucas horas, um sujeito chamado Jef conseguiu "a recompensa", e alguns dias depois, Mairin o parabenizou pelo êxito.

De uma perspectiva, suas ações eram incompreensíveis. Se ela queria alguém para ajudá-la, por que não  penas registrar no Fedora Trac? Se ela queria publicá-lo, por que gastar horas escrevendo tudo isso e fazer um concurso, quando ela poderia ter colocado no blog um link para o ticket?

E todo esse tempo, Jef poderia ter aplicado suas habilidades de design para o trabalho da equipe, procurando por uma passagem adequada no tracker. Por que não?

Há alguns apectos intrigantes na estratégia dela:

  1. Seus pedidos de ajuda soam extraordinariamente humanos. Ela  detalha as ferramentas que devem ser usadas e os documentos para ler. Esse tipo de informação (e o tom usado) não é sequer apropriada para um ticket tracker.
  2. Criando um concurso com tempo limitado, criou-se uma sensação de urgência. O concurso  é uma oportunidade para o auto-aperfeiçoamento, e não um "finalizado" em vermelho marcado em um bug tracker.
  3. Ela trabalhou para colocar a sua solicitação na frente de muitas pessoas. O concurso apareceu no Planet Fedora, Planet GNOME, e no seu microblog.

E deu certo. Ela conseguiu contribuições duradouras. Jef e Emily, os dois bem-sucedidos "ninjas", passaram a contribuir para a equipe do Projeto Fedora equipe de outras maneiras. (Jef ainda conseguiu um estágio na Red Hat!)

Um ambiente de apoio com pessoas amigas e recursos "emprestados”.

Na faculdade, eu liderei a Johns Hopkins Association for Computing Machinery, nosso clube de computador, por alguns anos. Quando eu era presidente no fim de 2005, os computadores dos alunos nos dormitórios não podiam rodar servidores, o firewall deveria bloquear as conexões de entrada para eles. Um calouro entusiástico-ainda-tímido apareceu e parecia que ele queria mexer com o funcionamento de uma máquina Linux. O escritório da ACM é um ótimo lugar para isso, e tínhamos hardware de sobra nas prateleiras. Mas nós estávamos ficando sem endereços IP e, a maioria das máquinas existentes estavam muito críticas para eu entregar o o acesso root para um calouro.

Nós tivemos sorte quando encontramos um computador descartado no corredor. Uma etiqueta declarou seu hostname, sea.cs.jhu.edu. Nós o trouxemos de volta para o escritório da ACM. Desde que nenhuma outra máquina estivesse usando aquele endereço IP, decidimos continuar a usar o endereço até que alguém se queixasse. Então, o plugamos, instalamos um novo sistema operacional nele, e ele teve que se mexer.

Agora, cinco anos depois, ele é um desenvolvedor de DragonFly BSD e contribui com patches para Ogg Theora, Plan 9, e uma série de outros projetos.

A presença de geeks do Linux no escritório da ACM forneceu um ambiente que incentivou a fazer perguntas e tentar projetos pessoais.

E se a ACM tivesse sido desativada? O firewall restritivo Hopkins teria bloqueado a sua capacidade de experimentar com SSH e aprender sobre sistemas Unix-like. E o endereço IP de reserva (ainda que duvidoso) significava que os administradores de sistemas da ACM nunca haviam tentado reutilizar a máquina para servir totalmente aos membros da ACM.

(Além disso, acho que o endereço IP está em desuso novamente...)

O que eu aprendi com esses exemplos

O Projeto Fedora Bounties e a incubadora de estudantes na sociedade de computação são atividades demoradas. Necessitam de uma grande quantidade de esforço, restritas dentro de um curto período de tempo, eles atingem um número pequeno de pessoas.

Mas para aquele pequeno número de pessoas, eles podem ter um impacto enorme.

Para um líder do projeto, como Mairin, um novo colaborador pode aumentar o nível de energia da comunidade. Tendo isso como sua meta, trabalhar duro para encontrar novos colaboradores faz todo sentido. Eu acredito que há outros projetos em situações semelhantes, assim Danny Piccirillo e OpenHatch estão incubando um projeto semelhante chamado Starling Bounties. Para provar à comunidade que isto pode funcionar, nós teremos o esforço de escrever.

Para mim, ver as pessoas tendo acesso a  isso tem sido gratificante. Nem todos os alunos têm acesso a uma rede de apoio de conhecimento sobre open source. Portanto, este fim de semana passado, visitei a Universidade da Pensilvânia para tentar criar uma aqui. Com a ajuda de outros professores, demos a 30 alunos a instrução prática sobre GNU/Linux, git, IRC, e outros conceitos chave para a participação no open source.

Estes mecanismos só crescerão rápido a medida que as pessoas investirem seus esforços neles. Quando você deseja uma mudança substancial para alguém, deve demonstrar principalmente dedicação.

Obrigada

Depois de ler todas estas palavras, você deve estar exausto.  Pegue um copo com água.

Para vocês queridos leitores que conseguiram ler até aqui: O que vocês acham do Fedora Design Bounties? Vocês estariam interessados em tentar um Starling Bounty com seu próprio projeto? E eu quero ouvir sobre as coisas divertidas que você faz para ajudar a crescer a comunidade de software livre, mesmo que "não escale!"

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Você pode ler o texto original, em inglês, no blog da Lydia: Designed not to scale. Caso encontre algum erro na tradução, por favor, fique a vontade de nos avisar ;-)